EnglishPortugueseSpanish

Nossa história

PurpleBird – Sobre nós

| Nossa história

Jefferson Souza Macedo
Fundador e Diretor de Operações

PurpleBird, a história.

“O medo de falhar nunca deve ser o motivo para não tentar algo novo.” – Fred Smith

Este texto foi propositalmente escrito em primeira pessoa para contar a minha história e sobre o surgimento da PurpleBird.

Foi em uma frase de Fred Smith, fundador, presidente e CEO da FedEx, segunda maior empresa de transporte aéreo mundial, que eu encontrei inspiração para tirar uma ideia do papel e transformá-la em realidade. O jovem e compenetrado Geek (no caso eu!) que teve dificuldades com cálculos e fórmulas matemáticas durante a vida acadêmica e que aos 17 anos escutava atento a Podcasts de histórias de sucesso, fracasso e lições de superação dos maiores empreendedores do mundo, resolveu dar ouvidos àquela voz interior que as vezes surge e ecoa.

Jefferson 1.0

Minha vida profissional em tecnologia começou em 2009, quando iniciei o Bacharelado em Sistemas de Informação. Em 2011, ano em que recebi a primeira oportunidade para estagiar na área de infraestrutura de redes em uma grande multinacional de origem sueca (empresa a qual sou e serei eternamente grato e apaixonado), também vi crescer o meu interesse por segurança da informação e um mundo além do sistema operacional Windows. Ainda em 2011, celebrei a minha primeira certificação profissional, à época foi a ISO/IEC 27002.

Em 2016, após concluir a Pós-Graduação em Computação Forense, eu mergulhei de cabeça em uma área que já não era mais a de segurança da informação e estava se transformando em segurança cibernética, tamanha amplitude e relevância que a competência ganhava. Mais uma vez, recebi oportunidades e pude trabalhar em tempos diferentes com duas lendas do cenário brasileiro de segurança cibernética, Thiago Bordini e Fernando Carbone, que não sabem que estão sendo citados aqui, mas aos quais torno pública a minha admiração e manifesto agradecimentos eternos por terem acreditado em meu potencial.

Já atuando com a Computação Forense, em 2018 veio o maior desafio da minha vida, integrar um time de classe e excelência mundial de resposta a incidentes de segurança, o X-Force Incident Response da lendária Big Blue, a IBM. Lá vivi os 3 anos e pouco mais intensos e gratificantes da minha vida profissional, encerrando a minha passagem como líder do time regional que cobria a América Latina e reportando para uma liderança global… Eu jamais poderia imaginar tamanho feito em minha carreira. Juntamente com um time de pessoas brilhantes e cheias de vontade, tivemos altos e baixos, noites intermináveis, casos complexos e momentos de superação para conquistar respeito por meio dos números entregues a companhia e relevância técnica do time que era inquestionável. Nós chegamos lá!

Em uma curta, mas não menos expressiva passagem, após a IBM, tive a oportunidade de atuar por uma outra gigante do mundo de tecnologia, a Capgemini. Me deparei liderando um time de pessoas fantásticas, tecnicamente geniais e apaixonadas por cibersegurança!

Em abril de 2022, após algumas semanas intensas de reflexão de vida pessoal e profissional, mudanças causadas pela pandemia e um misto de sentimentos, eu aderi ao fenômeno global chamado “The Great Resignation” ou em português, “A Grande Renúncia”, tendência que descreveu uma onda de pedidos de demissão voluntária por parte de pessoas com diferentes motivações. A minha motivação foi tirar um plano do papel e poder causar ainda mais impacto positivo na vida das pessoas, ver o crescimento delas por meio de conhecimento que eu poderia compartilhar, e quando possível conceder oportunidades profissionais concretas. Rumei para um período de descanso, o qual era para ser um mini sabático, no entanto, mais cedo do que eu esperava, me vi de volta ao mundo de Forense e Resposta a Incidentes, combatendo mais um ataque de Ransomware.

Daqui em diante, começa a história da PurpleBird, eu prometo!

Eu já possuía um registro empresarial regular e fazia uso tímido dele enquanto ensaiava o que poderia ser uma empresa de consultoria, disponibilizando o meu conhecimento para companhias de diferentes portes, afinal, a segurança cibernética não é um luxo ou opção, é uma necessidade de todos os tipos de negócios, ainda que nem todos consigam visualizar. Por meio da minha experiência de mercado, percebi também que muitos serviços de segurança são custosos, o que as vezes torna a contratação restrita a um grupo limitado de empresas com orçamentos poupudos, mas acima de tudo compreendi que isso não deve ser uma regra, cabendo flexibilização e permitindo que empresas de pequeno e médio porte também protejam os seus ativos e operações de negócio contra ataques cibernéticos.

Pensei em nomes, trabalhei em diferentes identidades visuais e reservei domínios… Purple Finch, Evidence-Labs, entre outros. Me vi satisfeito quando me saltou a mente o nome PurpleBird, ou em português “Pássaro roxo”. Os pássaros de maneira geral e entre diferentes espécies representam sabedoria, adaptação e agilidade. A cor roxa é vista na área de segurança cibernética como um esforço combinado das atividades defensivas (representadas pela cor azul) e pelas atividades ofensivas (representadas pela cor vermelha), direcionando a atuação da PurpleBird, para ambos os tipos de atividades de forma a atender diferentes demandas.

Me considero uma pessoa iluminada pois sempre pude contar com pessoas sensacionais, com variados tipos e níveis de conhecimentos. Eu me apeguei a uma frase que diz: “Aves da mesma plumagem voam juntas”. Somei os inúmeros conselhos que recebi com um pouco do meu poder de entrega e execução para estabelecer um portfólio de serviços, padrões de entrega, qualidade e vontade de devolver para a sociedade, tudo de bom que recebi ao longo dos últimos anos em integridade, evolução pessoal e profissional.

O dia 20 de julho de 2022, é histórico para mim e para a PurpleBird. A data marca o anúncio público da empresa, apesar de já estarmos atuando há quase 90 dias nos bastidores provendo serviços de resposta a incidentes críticos, investigação forense e aconselhamento consultivo em cibersegurança.

Empreender não é sinônimo de falta de opção ou oportunidade. Empreender é coragem para fazer acontecer, fazer sempre melhor e tirar ideias do papel. E foi em mais uma frase, esta do empresário Gurbaksh Chahal, que disse

“Se você realmente quer algo, não espere. Ensine você mesmo a ser impaciente”

na qual me inspirei para deixar fluir a minha impaciência e fazer acontecer. Alguns passos foram dados e a PurpleBird, enfim é concebida.

Chegamos ao mercado brasileiro para fazer acontecer, atender as demandas com a mesma excelência, qualidade e dedicação de uma empresa global, com margens justas, visando transformar a sociedade e os negócios por meio da segurança cibernética, pelo compartilhamento do nosso conhecimento e para criar oportunidades concretas e formar os profissionais de segurança do futuro.

O que vocês podem esperar da PurpleBird?

A PurpleBird, já nasce gigante e com a confiança de clientes que já entregaram a nós a responsabilidade de proteger os seus principais ativos, dados e informações de negócio. Também chegamos ao mercado com a parceria de fabricantes e provedores de tecnologias de segurança cibernética que nos apoiarão para prover o melhor serviço para os nossos clientes.

Esperem da PurpleBird, nada menos do que dedicação, vontade de fazer acontecer e sorriso no rosto para atender as demandas dos nossos colegas e clientes.

Agora que vocês já conhecem a minha história e como a PurpleBird surgiu, que tal contar com o nosso apoio para proteger o seu negócio, ambiente e reputação digital?

Quero em breve retornar para lhes contar sobre a versão 2.0 da PurpleBird, que com muita fé e trabalho árduo, crescerá ainda mais para transformar a sociedade por meio de um propósito de vida e de realização.

Siga as nossas redes sociais e acompanhe a nossa jornada de transformação!

Paz a todos (as),

Jefferson Souza Macedo

Fundador, Diretor de Operações e apaixonado por cibersegurança